Barragem de Taioba sangra após chuvas em Belo Jardim

Após as chuvas que caíram desde o fim de semana em Belo Jardim e em várias regiões do Estado, a barragem de Taioba, localizada no distrito de Xucuru, na zona rural do município, verteu na noite da última quinta-feira (15). A informação foi confirmada pela Gerência de Unidade de Negócios Ipojuca (GNR) da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), sediada em Belo Jardim.
Em fevereiro deste ano o manancial único que atende o distrito, entrou em colapso total devido à escassez de chuvas. Os moradores da localidade chegaram a ser abastecidos emergencialmente por carros-pipa e chafarizes instalados em alguns pontos estratégicos pela Compesa.
A barragem pode acumular 1,1 de metros cúbicos de água. Na manhã da última quinta feira 15.

 

Popular foi conduzido a Delegacia de Belo Jardim portando 3 cigarros de maconha

Na última quinta-feira 15, o efetivo da GT 15112, enquanto realizava rondas no Pontilhão, percebeu atitude suspeita ao passar por uma borracharia em que estava um grupo de indivíduos. O policiamento realizou o procedimento da abordagem e encontrou com o imputado 01 JAdS, 33 anos, três cigarros de maconha em seu bolso. Diante dos fatos, o efetivo conduziu o imputado à delegacia de Polícia de Belo Jardim para que fossem tomadas as medidas cabíveis, resultando em TCO.

Vereador Guilherme apoia o mês da Conscientização do Autismo!

O mês de abril é dedicado à conscientização sobre o autismo. A data busca trazer visibilidade para o tema como forma de mobilizar a sociedade sobre essa condição ainda desconhecida e discriminada por muitos.
Vamos cada vez mais pesquisar sobre o tema, estudar, e saber como compreender e respeitar. O autismo é um jeito único e especial de ver o mundo. É nosso dever apoiar e nos sensibilizar por essa causa!

 

Supremo forma maioria para manter decisão de Fachin e deixar Lula apto para disputar eleição de 2022

O STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria nesta quinta-feira (15) para anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e devolver os direitos políticos do petista.
Os ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Rosa Weber, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Cármen Lúcia votaram nesse sentido.
Indicado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro Kassio Nunes Marques foi o único a divergir. O magistrado defendeu a revogação da decisão de Fachin.
Os demais magistrados concordaram que as ações contra Lula não tratavam apenas da Petrobras e que a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba dizia respeito somente a processos com vinculação direta com a estatal petrolífera.
Os ministros ainda devem decidir se os processos devem ser remetidos à Justiça Federal do Distrito Federal ou de São Paulo.
Em duas das quatro ações, casos conhecidos como tríplex de Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia (SP), Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, sentenças já confirmadas em instâncias superiores. Com isso, o ex-presidente foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.
A decisão de Fachin que determinou a transferência dos processos para a capital do país havia sido tomada no dia 8 de março.
Na semana seguinte, a PGR (Procuradoria-Geral da República) apresentou ao Supremo um recurso para restabelecer as condenações.
Ao recorrer da decisão de Fachin, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo argumentou que a Lava Jato apontou crimes praticados no âmbito do esquema criminoso que pilhou a Petrobras. Segundo a acusação, contratos da estatal com a construtora OAS estão na origem de valores ilícitos direcionados a Lula.
A denúncia, disse a representante do Ministério Público Federal, relata elos entre os contratos da OAS firmados com a Petrobras e a vantagem ilícita obtida por Lula. “Há de ser preservada a competência do juízo de origem”, afirmou Lindôra.
Na defesa de sua decisão, Fachin disse ser “forçoso reconhecer que o caso não se amolda ao que tem sido decidido majoritariamente no âmbito da Segunda Turma [do STF]”.

“A competência da 13ª Vara foi sendo entalhada à medida que novas circunstâncias fáticas foram trazidas ao conhecimento do STF, que culminou por afirmá-la apenas aos crimes direta e exclusivamente praticados em relação à Petrobras”, afirmou.
Em diversas passagens do seu voto, Fachin reafirmou a jurisprudência do Supremo que fixou na 13ª Vara Federal os casos que dizem respeito exclusivamente à estatal petrolífera.
Ele citou decisões da Segunda Turma da corte que, desde 2015, tiraram do Paraná várias apurações da Lava Jato.
No caso do triplex do Guarujá, motivo do habeas corpus de Lula ao Supremo que resultou na decisão de Fachin do início de março, o ministro afirmou que a denúncia não atribuiu ao ex-presidente “uma relação de causa e efeito entre sua atuação como presidente da República e determinada contratação pelo grupo da OAS com a Petrobras, em decorrência da qual se tenha acertado o pagamento da vantagem indevida”.
“Na estrutura delituosa delimitada pelo Ministério Público ao paciente [Lula], são atribuídas condutas condizentes com a figura central do imputado grupo como grupo criminoso organizado, com ampla atuação nos diversos órgãos pelos quais se espalharam as práticas ilícitas, sendo a Petrobras um deles”, disse.
“Não se trata apenas de corrupção identificada no mensalão e na Petrobras, isso é afirmação do Ministério Público”.
E prosseguiu: “Ao longo de todos os anos, em que Lula, diz o Ministério Público, ocupou o mais alto cargo do Poder Executivo Federal, diversos outros casos de corrupção semelhantes foram verificados.”
O relator da Lava Jato mencionou que as apurações apontaram irregularidades na Eletronuclear, Ministério do Planejamento e na Caixa, “um cenário de macrocorrupção política”, segundo ele.
Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o STF, Kassio Nunes Marques divergiu do colega Edson Fachin e votou contra a anulação das condenações de Lula.
Na avaliação de Kassio, as ações penais contra o petista devem prosseguir na 13ª Vara Federal de Curitiba, hipótese que devolve ao ex-presidente a condição de inelegível e impede sua participação nas eleições de 2022.
O ministro afirmou que as investigações do petista que tiveram origem na 13ª Vara Federal de Curitiba têm conexão com os crimes cometidos na Petrobras e não devem ser invalidadas e remetidas à Justiça Federal do DF.
Na linha do que defendeu a PGR, o ministro recorreu a uma série de achados da apuração do caso triplex do Guarujá para sustentar a relação dos contratos da OAS firmados com a Petrobras e a vantagem ilícita obtida por Lula.
“Os fatos versados nas ações penais descritas estão, de fato, associados diretamente ao esquema criminoso de corrupção e lavagem de dinheiro investigado no contexto da Operação Lava Jato cuja lesividade veio em detrimento exclusivamente da Petrobras”, afirmou. “E, assim sendo, a competência, a meu sentir, é da 13ª Vara Federal.”
O julgamento desta quinta foi iniciado na quarta-feira (15), quando o Supremo decidiu manter a análise da matéria no plenário da corte.
Por 9 a 2, os ministros rejeitaram o pedido da defesa do ex-presidente para que o tema fosse analisado pela Segunda Turma, colegiado que é integrado por cinco magistrados e tem perfil contrário à Lava Jato.

 

Belo Jardim registrou 06 casos de pessoas infectadas pela Covid-19


A Secretaria de Saúde de Belo Jardim informa que, nesta quinta-feira (15), foram registrados seis novos casos da Covid-19 no município, totalizando 2.550 casos confirmados. Destes, 2.300 foram recuperados e 179 estão em recuperação domiciliar.
A Ala de internamento Covid está com nove dos 16 leitos existentes ocupados. E tem dois pacientes aguardando transferência, pela Central de Leitos do Estado, para UTI.
Atualmente, Belo Jardim totaliza 71 óbitos confirmados. Outros três continuam em investigação por parte do Governo do Estado.
Até o momento, 10.153 doses foram aplicadas pelo município. A lista com os nomes dos beneficiados está no Portal da Transparência da Prefeitura de Belo Jardim e está sendo atualizada.
A secretaria de saúde está com uma equipe de digitadores para manter o portal totalmente atualizado o mais breve possível.

Pernambuco ultrapassa a marca de 13 mil mortes ao registrar 63 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h

Pernambuco registrou, nas últimas 24 horas, 1.868 novos casos e 63 óbitos por Covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), nesta quinta-feira (15).
Entre os confirmados hoje, 152 (8%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.716 (92%) são leves. As mortes ocorreram entre os dias 10 de junho de 2020 e essa quarta-feira (14).
Com isso, Pernambuco ultrapassa a marca das 13 mil mortes por Covid-19, desde o início da pandemia. Agora, o estado totaliza 13.051 vítimas fatais da doença.
As novas mortes são de pessoas residentes dos municípios de Abreu e Lima (1), Afogados da Ingazeira (1), Agrestina (1), Bezerros (1), Belém de Maria (1), Buíque (1), Cabo de Santo Agostinho (2), Camaragibe (1), Carpina (1), Caruaru (1), Cortês (1), Custódia (1), Escada (1), Exu (1), Feira Nova (1), Garanhuns (1), Igarassu (1), Ipojuca (2), Jaboatão dos Guararapes (4), Machados (1), Olinda (1), Orobó (1), Orocó (1), Passira (1), Paudalho (4), Paulista (3), Pesqueira (1), Petrolina (9), Recife (10), Salgueiro (1), São José do Belmonte (1), Serra Talhada (2), Surubim (1) e Vitória de Santo Antão (2).
Os pacientes tinham idades entre 26 e 92 anos, além de uma criança de 7 anos. As faixas etárias são: 0 a 9 (1), 20 a 29 (1), 30 a 39 (3), 40 a 49 (5), 50 a 59 (11), 60 a 69 (11), 70 a 79 (22), 80 ou mais (9). Do total, 42 tinham doenças pré-existentes: doença cardiovascular (24), diabetes (21), hipertensão (9), obesidade (6), doença respiratória (2), doença renal (3), histórico de tabagismo (3), imunossupressão (1), doença neurológica (1) e AVC (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais seguem em investigação.
Além disso, estado já tem 376.983 casos confirmados da doença, sendo 38.204 graves e 338.779 leves.
Recuperados
O boletim da SES-PE ainda registra 319.407 pacientes recuperados da doença. Destes, 22.554 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 296.853 eram casos leves

Mulher foi presa por suspeita de furto em estabelecimento comercial na Av. Deputado José Mendonça

Nesta quarta-feira 14, durante rondas a GT 15113, foi solicitada pela vítima que relatou ter sido furtada na Av. Deputado José Mendonça Bezerra, Centro de Belo Jardim. A mesma repassou as características das três possíveis autoras do delito, após realizar diligências com apoio do NIA/ZM3 foi feita a captura de uma das imputadas, C.A.S, 42 anos, que foi reconhecida pela vítima, diante do exposto foram conduzidas as partes a DP de Belo Jardim para serem tomadas as medidas cabíveis. Resultado em APFD.

15º BPM e BeloTran realizaram Operação Varredura em Belo Jardim

Nesta quarta-feira 14, foi realizada na cidade de Belo Jardim em conjunto com o efetivo da BELOTRAN a Operação Varredura. As ações policiais foram desencadeadas nos pontos considerados quentes da respectiva cidade, conforme análise da Seção de Planejamento e estatística do 15°BPM.
O foco das abordagens se deu nos pilotos de motocicletas, considerando que tais veículos são demasiadamente utilizados em práticas delitivas. O esforço operacional aumentou a sensação de segurança junto aos munícipes, contribuindo para a não ocorrência de registro de CVLI e CVP.
RESULTADOS:
32 motocicletas verificadas; 47 pessoas abordadas; 07 veículos apreendidos; 14 notificações veiculares.
EFETIVO:
GT COMANDO, GT GATI, RC 15100, GT 15113, GT 15112

 

Homem é encontrado morto na zona rural de Belo Jardim

O corpo de um homem foi encontrado por populares na estrada do sitio Barro Branco, zona rural de Belo Jardim, no final da manhã desta quarta-feira 14. Segundo informações de curiosos, o agricultor conhecido por Sérgio. já foi encontrado sem vida. A polícia foi acionada para o local, porém, ainda não se sabe se foi homicídio ou morte natural.
Segundo a família da vítima, a morte foi natural e ele sofreu um derrame. Mais também se suspeita de um homicídio.