Pimenta nos olhos do outros é refresco! Parte I

T3

Meus amigos (as), um leitor do nosso site nos enviou uma nota relembrando alguns acontecimento envolvendo a saúde pública do nosso município. Porém como diz o ditado popular “Contra os fatos não há argumento”. Então vamos relembrar e cobrar as autoridades competentes sobre os fatos:

1º caso- morre um bebê por prolapso de cordão umbilical que não teve chance alguma, pois o bloco cirúrgico estava interditado para reforma, motivo alegado para a reforma, havia uma casa de maribondo dentro do bloco cirúrgico, passado 90 dias não havia se quer, começado a “reforma”, por tanto não havia bloco cirúrgico, portanto o bebê não teve nem uma chance.

Quer saber mais->www.manualmerck.net/?id=275&cn=2043

Isto é apenas uma pequena mostra!

Agora vou perguntar, pois perguntar não ofende!

·        Perguntas 1º caso-Se o bloco cirúrgico estivesse funcionando, ainda que parcialmente, o bebê morreria?

·         A morte do bebê, vai ficar por isto mesmo?

·         Não terá pelo menos uma investigação para apurar se houve e se houve, quem foi os culpados?

·         Quem interditou o bloco cirúrgico?

·        Qual a formação profissional da pessoa responsável pela interdição do bloco?

·         O responsável por interditar o bloco cirúrgico é funcionário do hospital?

·         Ele pode provar que é funcionário?

·         O dinheiro do SUS para manter o bloco cirúrgico funcionando esta chegando?

·         Se esta chegando, o que esta sendo feito com o dinheiro?

·         Os funcionários médicos, enfermeiras e técnicos que trabalham no bloco cirúrgico o que estão fazendo no período da “reforma”?

·         Os funcionários do bloco cirúrgico médicos, enfermeiras e técnicos estão recebendo seus salários normalmente?

·        É verdade que a reforma do bloco esta sendo feita com base em um trabalho universitário?

·        Pelo amor de Deus, quando vai terminar esta bendita “reforma”?