Cantora Maéve realiza vídeo documentário sobre os dez anos de carreira

Conhecida nos palcos da região, a cantora Maéve, 28, teve o projeto “Negra Tinta” aprovado pela Lei Aldir Blanc estadual, de incentivo à cultura. “Negra Tinta” tem como objetivo contar a trajetória artística da musicista em Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, em comemoração aos dez anos de carreira artística, celebrados no início de 2022. Essa história será contada a partir de suas singularidades, por ser uma mulher negra, mãe, e artista no interior. Maéve também é a produtora do projeto.
Negra Tinta será um vídeo documentário que inclui um show com duração de uma hora e contará com depoimentos da cantora narrando como foi o percurso da sua trajetória, suas dificuldades para conclusão da formação na licenciatura em música, simultaneamente com a maternidade. “Quero mostrar que é possível que mulheres negras, com todas as adversidades, consigam alcançar seus objetivos, independente de quanto tempo possa levar”, diz Maéve.
O documentário será gravado na Comunidade Remanescente Quilombo Barro Branco, localizada na zona rural de Belo Jardim, e conta com participação de Elaine Lima (liderança da comunidade) na produção do evento e como artista convidada, com intuito de dar visibilidade à comunidade e ao local, que é um dos equipamentos histórico- cultural mais importante do município. Também participam do show como artistas convidados: Pierre Tenório, Jurandex, e David Henrique, mais conhecido como Birigui. A banda será formada pelos músicos: Edu Albuquerque (guitarra), George Luiz (contrabaixo), Heligeison Feitosa (bateria), e André Luiz (Clarinete).
O produto final das gravações de Negra Tinta será apresentado ao público no dia nove de fevereiro, pela plataforma Youtube. Para garantir inclusão social, o vídeo documentário terá intérprete de libras, além de legendas. Todas as pessoas envolvidas no projeto Negra Tinta são residentes do município de Belo Jardim.
Maéve Oliveira nasceu em Jaboatão dos Guararapes, é cantora, flautista e compositora. Iniciou seus estudos em flauta transversal em 2010 e em 2012 ingressou no IFPE – Belo Jardim para o curso de Licenciatura em Música com habilitação em flauta transversal. No mesmo ano, começou a cantar na banda Arteroots. Em 2013, iniciou sua carreira solo, participando de eventos nas cidades de Belo Jardim, Caruaru e Recife, entre eles: Dia do Desafio, Jardim cultural, Ciclo de câmara do Sesc – Belo jardim, Nós pós e Coquetel Molotov 2017, Abril Cultural, Sonora – Ciclo Internacional de Compositoras, Sonoridades no Fábrica, Divercidade, Jardins da Literatura, e Festival Mojubá. Atualmente, canta em bares e eventos de Belo Jardim e região.