Corregedoria realiza Semana de Conciliação em Belo Jardim

forum de belo jardimA Corregedoria Geral da Justiça do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) realiza a "I Semana de Conciliação da Comarca de Belo Jardim", de 24 a 28 de março, com o objetivo de promover a conciliação como gestão de rotina cartorária nas unidades, reduzindo o tempo médio de duração dos processos e a taxa de congestionamento. O corregedor geral da Justiça, desembargador Eduardo Augusto Paurá Peres, com o apoio da Presidência do TJPE, verificou que a 1ª Vara da Comarca de Belo Jardim conta com acervo de 7.035 processos, estando 3.089 conclusos, e a 2ª Vara da mesma Comarca conta com acervo de 5.644 processos, estando 2.112 conclusos, o que indica substancial acúmulo e volume excessivo de serviços nas serventias.
Durante a ação, uma equipe especial do órgão vai colaborar com mais duas juízas assessoras e servidoras do Núcleo de Apoio aos Juízes (NAJ). "A conciliação é um meio alternativo de solução de conflitos que, além de trazer inúmeros benefícios às partes, desafoga o Judiciário e possibilita uma prestação jurisdicional célere e eficaz, sendo de capital importância a difusão da cultura da conciliação como busca da paz social", explica o corregedor Eduardo Paurá. A Corregedoria Geral da Justiça tem como funções principais a orientação e fiscalização dos serviços judiciais em todo o Estado.
O juiz titular da 1ª Vara da Comarca de Belo Jardim, Hugo Castro Jiménez, vai conduzir e supervisionar as audiências criminais e cíveis da pauta, sendo auxiliado pelos servidores e voluntários, que vão atuar como conciliadores no evento. A Semana de Conciliação acontece no Fórum da Comarca de Belo Jardim Des. João Paes, com a realização das audiências conciliatórias, no horário das 8h às 18h. A ação acontece com as parcerias essenciais da Defensoria Publica, Ministério Público de PE e Ordem dos Advogados do Brasil -Seccional Belo Jardim.
O que é Conciliação?
É uma forma de solução de conflitos em que as partes, por meio da ação de um terceiro – o conciliador – chegam a um acordo, solucionando a controvérsia. Nesse caso, o conciliador tem a função de orientar e ajudar, fazendo sugestões de acordo que melhor atendam aos interesses dos dois lados em conflito.

 

OAB-Belo Jardim

nubia rocha3

Presidente do SISMUT é agredido

El chavezO protesto na pequena cidade de El Chávez, está rendendo, de acordo com uma professora daquele município,  o presidente do “SISMUT”, foi agredido pelo esposo da Sec. de Educação.
Segundo informações, o Sr. Vânio que é presidente do “SISMUT” estava indo ao trabalho, quando o esposo da Sec. parou seu veículo e começou o “Bate boca”, de acordo com a professora, o suposto agressor desceu de seu veículo e empurrou o presidente do SISMUT, que foi até a delegacia local registrar um B.O. contra o agressor.

 

PTB e PSB também duelam nos números proporcionais

eleições 2014Adversários no pleito que se avizinha, petebistas e socialistas duelam também em suas projeções sobre a disputa proporcional. O secretário da Fazenda, Paulo Câmara (PSB), e o senador Armando Monteiro Neto (PTB) saem de cena nesse momento para dar espaço a uma verdadeira guerra de números. Enquanto aliados do governador Eduardo Campos (PSB) fazem a conta de que a Frente Popular deverá eleger cerca de 40 deputados (de um total de 49) na Assembleia Legislativa, a nova oposição aponta um cenário completamente diferente e, claro, mais favorável ao seu lado.
Há quem assegure, nos bastidores do PTB, que o alto número de candidatos – com e sem mandatos – do campo governista poderá provocar uma espécie de processo de autofagia, no qual a necessidade de alcançar o hipotético número de R$ 40 mil votos seria determinante para a garantia da vaga na Casa de Joaquim Nabuco. Esse quadro indicaria que apenas 27 nomes da chapa da Frente Popular teriam condições de atingir essa votação.
Por outro lado, para o mesmo grupo, esse cenário possibilitaria aos aliados do senador Armando Monteiro Neto cerca de 14 vagas na Alepe. E com uma votação limite mais sedutora, com apenas 27 mil sufrágios para o asseguro do ingresso no Parlamento estadual.
Nessa conta, ainda restariam três vagas que poderiam ficar com o PP, uma com o Solidariedade, outra com o PPS/PMN. Ou seja, abriu-se de vez as contas dos “Datafolhas” alheios. Cada um com a sua aposta.


Gilberto Prazeres

loteamento morada dos jardins

“Eduardo Campos deve sua carreira política ao avô Miguel Arraes e a Lula que o fez Ministro e o ajudou a vencer as eleições em Pernambuco”, afirmou Dr. Washington Cadete

cadete povo

Conforme publicou o Diário de Pernambuco, O PSB e o governador Eduardo Campos tentam enfraquecer o palanque do senador Armando Monteiro lembrando o seu perfil de homem ligado ao setor sucroalcooleiro, tentando rotulá-lo de patrão.

Em Serra Talhada mesmo o governador Eduardo Campos chamou Armando (seu aliado em 2010) de patrão, no sentido pejorativo, lembrando a antiga luta entre o capital e o trabalho, o chefe e o empregado. Ao falar do seu candidato, Paulo Câmara, o líder socialista procurou mostrar que ele, como um trabalhador, cresceu por mérito próprio, sem ajuda de um pai ou de pistolão.

Quem reagiu a esse discurso do governador foi o pré-candidato a deputado estadual pelo PTB, o advogado Washington Cadete, de São Bento do Una.

“É impressionante a conduta do governador. Diz que representa a  nova política, pretende se rotular do novo e pratica a velha política da discussão de classes, velha e superada”, criticou o advogado.

Washington Cadete avalia que Eduardo Campos nasceu em berço de ouro. “É neto de Miguel Arraes, começou a fazer política e se fez na política nos calcanhares do avô, tendo o aval deste nos cargos que assumiu e quando foi candidato as primeiras vezes”, frisou o ex-vereador de São Bento do Una.

Para o pré-candidato petebista, Eduardo Campos quer fazer os pernambucanos de tolos. “Miguel Arraes, seu avô, foi aliado do usineiro Antônio Farias, se elegeu governador em 1986 com seu apoio financeiro e o ajudou a se eleger senador”, rememorou.

Cadete assegura que Armando Monteiro e o seu pai sempre tiveram posições firmes e progressistas.  “Armando é sócio de empresas e não dono de usina, como pretende o governador. Esta cantilena não vai prosperar, Pernambuco e o Brasil já superou esta velha discussão. pretendemos uma campanha discutindo o desenvolvimento de Pernambuco, o futuro do estado”, argumentou.

Washington acha que na falta de argumentos, na pretensão de se apresentar como novo, Eduardo se volta para a velha política, a prática arcaica que dominou Pernambuco na época dos coronéis.

“Eduardo Campos deve sua carreira política ao avô Miguel Arraes e a Lula que o fez Ministro e o ajudou a vencer as eleições em Pernambuco. Ele recebeu todo o apoio dos governos Lula e Dilma e, em um momento de devaneios, abandonou os aliados que sempre elogiou, defendeu, e se aliou ao velho Democratas (DEM)  e ao PSDB. Este discurso não tem consistência, é velho e superado e não vai enganar o povo de Pernambuco”, concluiu Cadete.

espetinho do lucio

PT e PTB celebram força política e eleitoral

9089

No encontro que selou a aliança entre o PT e o PTB com vistas às eleições de 2014, os líderes dos dois partidos voltaram a destacar a força política e eleitoral da união.
 
Em conversa com a imprensa, nesta segunda-feira (24), após a reunião entre o senador Armando Monteiro (PTB) e a comissão de tática eleitoral do partido, o parlamentar petebista, a presidente estadual do PT, deputada estadual Teresa Leitão, e o deputado federal João Paulo, exaltaram o caráter democrático da decisão e falaram da importância que a parceria terá para a continuidade das ações do Governo Federal no Estado.
 
À imprensa, Teresa Leitão, fez questão de ressaltar que ficará muito claro para a população que o aliado do ex-presidente Lula em Pernambuco é o senador Armando Monteiro.
 
Veja abaixo alguns trechos da coletiva:
 

Armando Monteiro

“Eu queria primeiro sublinhar o meu reconhecimento a este processo que resultou nesta manifestação do PT. É um processo que se deu de forma essencialmente democrática, porque o partido assegurou a audiência de todos os setores. Eu sempre disse que não queria fazer uma aliança formal, o que me interessava verdadeiramente era fazer uma aliança que se traduzisse no engajamento de todas as forças do partido, ou seja, algo que resultasse num palanque integrado.

Há de se reconhecer o papel fundamental que o PT vem desempenhando na vida do Pais e de Pernambuco porque a ele se associam as grandes conquistas que ocorreram no Brasil nós últimos anos. Todas as transformações que foram operadas no pais, sob a liderança do presidente Lula e continuadas sob a gestão da presidente Dilma. O PT está associado direta e fundamentalmente a todas as conquistas que Pernambuco pôde ao longo deste período mais recente celebrar.

O PT é um partido que tem um enraizamento na sociedade brasileira. Ele nasceu pelo próprio processo de transformação que ocorreu no Brasil. Então eu quero saudar o partido por inteiro, saudando as lideranças dos movimentos sociais, as lideranças dos trabalhadores, dizendo que esta aliança é emblemática, porque nós estamos integrando visões, que não são necessariamente idênticas mas que convergem num ponto fundamental. E eu gostaria de traduzir isto em dois eixos importantes. O primeiro é de que Pernambuco precisa consolidar e ampliar as conquistas que obteve nos últimos anos.

E aí nós temos uma agenda desafiadora pela frente. E para formular uma proposta e um projeto que dialogue com o futuro de Pernambuco nós precisamos fundamentalmente da visão do PT. E para isto vamos trabalhar a quatro mãos, a seis mãos, a oito mãos, porque esta aliança está aberta à participação de muitos outros partidos. Mas vamos ter um eixo fundamental nestas propostas e este eixo terá sempre o timbre do partido dos trabalhadores.
 
E quero situar um outro eixo, que é de natureza política. Eu tenho dito que quem conhece a história de Pernambuco sabe que ela é marcada por um processo de afirmação e de independência, que está na essência da cultura de Pernambuco, nos movimentos libertários que ocorreram aqui. Pernambuco não aceita um sistema unipolar de forças, Pernambuco tem que se expressar na sua pluralidade, e para isto, nesta circunstância histórica, o PTB e o Partido dos Trabalhadores têm um papel fundamental, para evitar este processo que alguns pretendem que de alguma maneira se traduza no domínio de um único grupo e de uma única força política em Pernambuco.
 
Temos muitas razões para confiar no sucesso deste projeto e queremos também afirmar o compromisso de estarmos juntos fortalecendo o palanque da presidente Dilma e, mais uma vez, dizendo que este projeto está aberto à participação de outras forças políticas que irão se somar.
 

Teresa Leitão
 
“A comissão de tática eleitoral estava em reunião com o senador Armando Monteiro para transmitir oficialmente a ele o resultado do encontro do PT. O nosso partido empreendeu um processo de debate, de discussão, muito amplo, tanto do ponto de vista das lideranças do PT quanto da nossa base militante. Nós discutimos com os movimentos sociais, que aqui são representados pelos setoriais, com o movimento sindical, com os diretórios regionais, em plenárias que fizemos em Carpina, Palmares, Caruaru, Salgueiro, aqui na Região Metropolitana, e aprofundamos bastante este debate. Sem nenhum açodamento, dentro das regras do partido, e o senador pacientemente esperou , com todo o respeito às nossas regras.
 
E ontem foi o dia de nosso encontro e deliberamos no voto com o processo também muito democrático de disputa, mas com um nível muitíssimo elevado de argumentos e de posições, pelo apoio à postulação do senador Armando Monteiro ao governo do estado. Isto se baseia fundamentalmente na aliança que temos com o projeto nacional. O senador é da base do governo da presidenta Dilma, o próprio PTB esta vindo apoiar formalmente está aliança e para nós este é o foco estratégico nas eleições de 2014.

Nos não podemos perder todos estes anos de conquistas para o povo brasileiro, todas as transformações feitas na sociedade e a organização de um palanque aqui que corresponda a este ideário, com a particularidade que Pernambuco vai ter nesta eleição, de ser um estado que pode vir a ter um candidato adversário da presidenta Dilma, com um nível acirrado de posicionamentos, requer de todos nós uma atenção muito especial.

Eu acredito que estamos correspondendo àquilo que a base do PT espera de nós. Um partido militante e um partido dirigente. Isto nós estamos efetuando com toda a responsabilidade que nos foi dada, de uma maneira bastante coletiva, reconhecendo os talentos, os valores, as posições e valorizando as divergências. Isto também nos ajuda a fazer uma síntese do partido e uma síntese das nossas posições com bastante consistência.

Vamos em frente, vamos organizar esta fase da pré-campanha, de uma maneira muito consistente, e vamos dar a Dilma uma expressiva vitória aqui no estado de Pernambuco. Com a candidatura de Armando Monteiro sabemos que o PT terá um protagonismo importante. Teremos uma vitória expressiva. Não apenas uma vitória eleitoral, mas uma vitória política que coloque Pernambuco em outro rumo político, de concepção, de relação com a sociedade, de relação com as instituições, porque para nós o importante é a boa política.

João Paulo
 
“Eu entendo que essa aliança que se consolida agora é uma chapa forte, que verdadeiramente vai abalar a eleição em Pernambuco, pela força do PT, pela força da liderança do PTB, e pelos partidos que vão se colocar. É uma chapa extremamente competitiva e acho que Lula e Dilma e Rui Falcão entram como reforços a este projeto. Acredito que nós aqui hoje consolidamos uma grande base na perspectiva da construção de duas vitórias para nós essenciais. A eleitoral e a política. Nós consolidamos uma aliança que vai se ampliar, com grandes possibilidades de ser vitoriosa, política e eleitoralmente. Acho que já neste primeiro passo desta aliança nós temos estabelecidas as condições de ganhar o governo do Estado, ganhar a eleição de Dilma aqui no Estado e eleger o Senador”.
 

Crédito da foto: Alexandre Albuquerque

Prefeitura irá desapropriar barracas da Avenida Senador Paulo Guerra na Cohab I

JM reunião com barraqueirosMais de vinte comerciantes informais instalados na Avenida Senador Paulo Guerra, COHAB I, vão ser retirados do local brevemente, onde na última quinta-feira o prefeito de Belo Jardim João Mendonça, se reuniu com os comerciantes na escola Sebastião Cabral para informar aos mesmo que por determinação do Ministério Público, a ordem é demolir as barracas alis existentes, e o não cumprimento acarreta em multa diária de 10 mil reais aos cofres da prefeitura, segundo João Mendonça.
O chefe do Executivo municipal disse ainda que irá revitalizar a avenida Senador Paulo Guerra, com arborização, pista de Cooper, equipamentos para ginástica como também espaço para lazer com iluminação LED.

bc

bc1

bc2

fadire logo3

“Vamos ampliar nossa aliança de forças”

0955

Em entrevistas a rádios do Estado na manhã desta segunda-feira (24), o senador Armando Monteiro (PTB) comemorou a aliança com o PT para o processo eleitoral em 2014 e para a construção de uma nova agenda para o desenvolvimento de Pernambuco.

“É um momento importante e agora abre-se uma nova etapa nesse processo, vamos ampliar essa aliança de forças para poder oferecer um palanque forte à reeleição da presidente Dilma em Pernambuco e, ao mesmo tempo, um palanque que possa oferecer à Pernambuco uma nova proposta, uma proposta que aponte para o futuro”, afirmou.

Confira abaixo algumas declarações feitas por Armando:

Decisão do PT

Armando Monteiro – "Tínhamos muita confiança de que, ao final, iriamos confirmar essa aliança e havia muitas razões para confiar nisto ao longo do processo, tendo em vista a manifestação de várias lideranças e o diálogo que fiz com vários setores do partido. Então, ao final, foi confirmada essa nossa expectativa e, o que é mais importante, por uma larga margem e por um processo essencialmente democrático em que todos foram ouvidos, todos puderam se expressar. Houve um calendário que foi rigorosamente observado, ninguém atropelou o calendário. Portanto, fico feliz de verificar que essa decisão se deu de forma democrática, aberta, transparente, e isso é claro que fortalece o projeto porque o PT é um partido que tem um enraizamento na sociedade brasileira, que tem uma trajetória, uma marca.

O PT em Pernambuco

Armando Monteiro – “Os pernambucanos associam muito as conquistas que ocorreram nos últimos anos ao apoio fundamental que recebemos dos governos federais nos últimos 12 anos, no governo de Lula e que teve continuidade no governo de Dilma. Portanto, o Partido dos Trabalhadores está associado a essas conquistas. É um momento importante e agora abre-se uma nova etapa nesse processo, vamos ampliar essa aliança de forças para poder oferecer um palanque forte à reeleição da presidente Dilma em Pernambuco e, ao mesmo tempo, um palanque que possa oferecer à Pernambuco uma nova proposta, uma proposta que aponte para o futuro. O que eu digo sempre é que os pernambucanos se tornaram mais exigentes em relação ao futuro, todos sabem que o Estado avançou, mas sabem também que o Estado tem muitos problemas ainda. E para consolidar esse processo de crescimento, temos muito trabalho pela frente na infraestrutura, na educação, na saúde, na necessidade de fazer um desenvolvimento mais equilibrado, porque há regiões de Pernambuco onde esses investimentos não chegaram. Portanto, é essa agenda desafiadora que nós vamos discutir olhando para o futuro".

Quem tem condições de conduzir Pernambuco

Armando Monteiro – “O processo está se iniciando agora, vamos ter um processo aberto em que, a partir das convenções, vamos fazer um debate sobre as questões de Pernambuco e então o povo de Pernambuco vai julgar de maneira soberana para decidir quem é que reúne as condições para conduzir Pernambuco nesse novo tempo que, como eu disse, nos desafia. Pernambuco teve um impulso de crescimento nos últimos anos, mas Pernambuco ainda tem muitos problemas. Então, é esse debate que eu espero que se faça, um debate de alto nível, que respeite a opinião pública de Pernambuco e, pra isso, vamos nos colocar com muito entusiasmo”.

PT vai decidir nome ao Senado

Armando Monteiro – “Eu acho que o nome do deputado João Paulo é um nome que tem uma densidade indiscutível pelo que representa, a sua grande liderança popular, a sua experiência como ex-prefeito do Recife tendo largamente aprovadas as suas gestões. Então, é um nome que se coloca com muita força. No entanto, este processo tem que ser definido pelo Partido dos Trabalhadores, que vai nos apontar e indicar o companheiro que se credencia aos olhos do partido para compor a chapa. Estaremos, evidentemente, sempre dispostos a acolher a indicação do PT. Portanto, vamos respeitar essa indicação. Mas não há nenhuma dúvida que o nome de João Paulo se coloca com muita força, desponta como um nome natural”.

O PT e o aumento do tempo de televisão na campanha

Armando Monteiro – “Acho que esse é um subproduto, o primeiro é o conteúdo político da aliança, mais importante que o tempo de televisão é o simbolismo desta aliança de podermos estar juntos com forças que fizeram um papel muito importante nessas transformações que ocorreram no Brasil e em Pernambuco. Então, o conteúdo político é o que tem de mais importante. Agora, há também um subproduto importante que é o fato de que o Partido dos Trabalhadores, como tem uma bancada muito expressiva e numerosa na Câmara, é um dos partidos que tem mais tempo de televisão individualmente, então não teremos problemas de tempo de televisão. Teremos um tempo mais que suficiente pra poder fazer, pra divulgar nossas mensagens e pra fazer uma campanha absolutamente eficiente na comunicação. Quero lembrar que até em episódios passados, mas recentes aqui em Pernambuco, partidos que tiveram até um tempo muito inferior ao que vamos ter, ao final, puderam também de forma eficiente divulgar suas mensagens e até consagrarem-se nas urnas como partidos vitoriosos. Portanto, esta questão do tempo de televisão é muito importante, você precisa ter um tempo mínimo, teremos um tempo muito superior ao tempo mínimo necessário, para que a disputa possa se dar de forma equilibrada em relação à comunicação e a divulgação das mensagens”.

Crédito da foto: Alexandre Albuquerque/divulgação

milk manu

População de Vila Nova reivindica melhoria na saúde do vilarejo

WP_20140322_004No programa Cecílio Galvão da último sábado , grande parte das reivindicações da comunidade de Vila Nova (zona rural de Belo Jardim), foram resumidas em falta de pagamento aos toyoteiros que transportam os estudantes, como também a falta de médico no vilarejo, e a péssima conservação da estrada que dá acesso a localidade.
Segundo Dr. Maneco PTB
” Tivemos que ir por Tacaimbó, pois por Serra do Vento a estrada estava intransitável”, afirmou.
Na ocasião do programa ter sido feito naquela comunidade, o empresário Adeilton dos Terrenos foi homenageado pela equipe da rádio Itacaité FM, além do locutor Cecílio Galvão e Dr. Maneco, estiveram presentes  Marluce, Ovelha, Vicente, Cacau da COHAB II, Jeremias da COHAB I além de  muitos  amigos.

WP_20140322_006

WP_20140322_010

WP_20140322_012

WP_20140322_016

aluguel de maquina

Prefeitura inicia obras de calçamento na Vila da Barragem

JMTVTeve inicio a obra de calçamento na Vila da Barragem onde está sendo investido mais de R$ 76 mil reais o que significa “Mil e cem metros quadrados de calçamento. O prefeito de Belo Jardim afirmou que “O calçamento da barragem velha foi uma promessa antiga onde logo logo irá entregar a população onde o calçamento na vila da barragem irá atender muita gente, como também irá valorizar os imóveis daquela localidade.

panela de barro1

Com os gritos”Fora Márcia, fora Márcia”, professores da rede pública municipal de Tacaimbó pedem a saída da Sec. de Educação do município

1521310_537646919690110_1872694677_n

Com os gritos de “Fora Márcia, fora Márcia”, as críticas à educação estão cada vez mais comuns em Tacaimbó. E na semana passada os professores da rede pública municipal foram as ruas com faixas e cartazes onde foi pedido a saída da Secretária de Educação a Sra. Márcia Valéria, por entender que a mesma não vem correspondendo com os anseios dos educadores . Em contato com este blogueiro via “Facebook alguns professores relataram que a Sec. de Educação não atende às demandas especificas e nem promove efetivamente a interrelação necessária ao estabelecimento do dialogo democrático entre os vários segmentos que discutem a educação do município.

Como também alguns professores estão dando aula em garagens, a falta de merenda de qualidade, como também a “Dama de Ferro” como é chamada no município de “El Chávez”, a mesma não cumpriu o pagamento das aulas atividades dos professores.

1972353_537646476356821_2137798546_n

998857_537647159690086_489985716_n  1235085_537647363023399_2145909070_n

1488960_537647389690063_358113290_n

1524778_537646989690103_666458166_n

1926887_537647253023410_307401687_n

1975008_537646816356787_1833575534_n

1978739_537647016356767_1893827018_n

10009316_537647203023415_2103716603_n

10006998_537646529690149_284882189_n

beto fuscão