Priscila Senna, a Musa, brilhou na abertura do Carnaval do Recife 2020 e pode ter marcado recorde

Priscila Senna, a Musa, pode ter marcado recorde de público entre as aberturas do Carnaval do Recife, na última sexta (21), quando ela fechou a programação da primeira noite no principal palco da folia recifense, no Marco Zero.
Foi uma noite histórica, tanto pelo possível recorde quanto por ter sido a primeira artista do brega recifense a apresentar um show do gênero no Marco Zero.
No backstage, antes do show, era só de Priscila Senna que se falava. Na coletiva de imprensa, a sala ficou pequena para os jornalistas. Foram muitas as perguntas à cantora – e não só: repórteres também pedindo selfies. “Eu estou muito feliz de representar todos os artistas e bandas. Vou dar o meu melhor”, disse. E soltou um sonho agora mais palpável de se realizar: “Quem sabe um dia eu gravo um DVD aqui também…”.
Público haverá de ter. O Marco Zero estava, mesmo, lotado, algo que não é comum no primeiro dia do Carnaval. Algumas ruas do entorno até ficaram mais tranquilas, porque quem estava por lá chegou para mais perto de Priscila, que reluzia, dourada, num vestido com aplicações de pequenos espelhos, confeccionado pela grife Guerreiro Cavaleiro.
Priscila Senna fez o Marco Zero cantar num coro encorpado, inseriu blocos de frevo no repertório (de “Morena Tropicana” ao “Hino do Elefante de Olinda”) e se emocionou: “Esse é um sonho de muitos e muitos anos, que hoje eu estou realizando. Muito obrigada, de verdade, por acreditarem em mim. Vocês não têm noção de tudo o que eu tive que passar não só eu, mas toda a equipe para estar aqui hoje cantando pra vocês”.