Governo tem primeira reunião do Pacto pela Vida e traça estratégias

Um dos grandes desafios do governo Paulo Câmara, o Pacto Pela Vida foi apresentado aos 27 novos secretários nesta quinta-feira (10). Foi a primeira reunião do ano para discutir políticas de segurança pública que coloquem o programa de volta aos trilhos. Instituído em 2007 e considerado um modelo de referência à época, o Pacto Pela Vida, reduziu os alarmantes índices de homicídios até 2014, quando os números voltaram a crescer e, depois, atingiram o recorde de 5.497 assassinatos em 2017.
Apesar dos números negativos, a coordenação do programa avaliou o pacto de forma positiva porque 2018, se comparado com o ano anterior, teve 1.170 mortes violentas a menos. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), a queda representou 20%. De janeiro a junho o índice foram menores, mas em julho teve um aumento de cinco mortes em média, voltou a cair e depois cresceu até outubro. Em novembro, houve uma redução de 33 mortes, em média, no mês. A expectativa é que as estatísticas consolidadas de 2018 sejam divulgadas na próxima semana.
Em 2019, a expectativa é de que os números da violência continuem em queda, de acordo com a Secretaria de Planejamento e Gestão . “É o 13º mês de redução seguido de redução na violência de Pernambuco (se comparado com 2017) e a ideia é que a gente continue ampliando isso em 2019. A expectativa é muito boa para que neste ano continue nessa trajetória de queda e a gente chegue ao final do ano em patamares mais aceitáveis”, disse o secretário da pasta e novo coordenador do programa, Alexandre Rebêlo.
OP9