COMO NÃO DIAGNOSTICAR UMA PNEUMONIA DEPOIS DOS SINTOMAS E EXAMES?

Nota de Indignação com a negligência do HJAL de Belo Jardim
Venho esclarecer a morte de minha filha Maria Eduarda (Duda), no último dia 14/04/2018, uma menina saudável, de 12 anos, estudiosa, cheia de amigos, carinhosa e muito querida por todos que conviveram com ela. Busquei socorro por quatro vezes durante a semana no Hospital Júlio Alves de Lira, onde foram realizados exames, dentre eles um Raio X, Hemograma e Eco cardiograma, onde deram alterados, mas as respostas dos médicos eram que estavam normais, e me tranquilizavam.
“Você como leigo, se um médico diz que está tudo certo, você acredita?!”
Diziam apenas serem dores musculares, medicavam e a mandavam para casa… No último dia 14 de abril a minha menina não voltou pra casa, por incompetência médica e por falta de recursos hospitalares. Como uma mãe chega com sua filha às 17:06, com dores, pressão arterial baixa e roxa , desfalecendo, e o hospital não ter equipamentos para atendimento? Por volta das 21:00 minha filha foi transferida para o Recife, ao Hospital Osvaldo Cruz, em uma ambulância do SAMU, pois o Hospital Júlio Alves de Lira não tinha ambulância equipada para a transferência, ao entrar em contato com a socorrista do SAMU, a mesma informou que também não haveria suporte para a transferência da minha menina, mas ligaria para o SAMU do município vizinho, Tacaimbó, e assim foi feito… Saímos para o Recife, chegando a Tacaimbó, trocamos de ambulância, que de fato era mais bem equipada. Chegando a São Caetano minha menina perdeu os sentidos e as duas médicas que nos acompanhavam resolveu parar no município de Caruaru, pois era a mais próxima… Minha menina, tão linda… Fomos ao Hospital Mestre Vitalino, direto para a UTI. Minha menina teve atendimento rápido, mas infelizmente não resistiu,
Hoje foi minha Duda, minha menina, minha princesinha… E amanhã quantas Dudas irão????
Hoje meu relato é de dor e indignação!!!